Resolução de Desafios: Mestrandos atualizam Plano de Manejo de Unidade de Conservação

Mais 15 mestres pela ESCAS estão prestes a se formar na unidade Porto Seguro/Bahia.  Como último módulo do Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável, eles vivenciaram um desafio real na disciplina Resolução de Desafios: a revisão do Plano de Gestão da RPPN - Reserva Particular do Patrimônio Natural Estação Veracel, onde são realizadas as aulas presenciais. 

Cristiana S. Martins, coordenadora do Mestrado Profissional explica que a disciplina tem como projeto pedagógico unir o repertório dos alunos, tanto o adquirido pelas aulas quanto a experiência profissional, na solução de um case real da área socioambiental. “A Resolução finaliza as etapas das disciplinas em nosso Mestrado Profissional com destaque para o trabalho colaborativo,, visão multidisciplinar, leitura de pesquisas aplicadas, entre outras competências necessárias ao profissional da área socioambiental”.  

O trabalho envolveu as mais diversas frentes do Plano:  fauna, flora, hidrografia, visitação, pesquisa, além de questões sociais com foco em proteger a área de mais de 6 mil hectares de Mata Atlântica, no sul da Bahia.

Angela Pellin, pesquisadora do IPÊ especialista em áreas protegidas e docente da ESCAS que ministrou as aulas sobre o tema e integrou a coordenação da Resolução de Desafios, destaca que a proximidade da turma com a Unidade de Conservação fortaleceu a atualização do plano.  “Desenvolver o plano com alunos no mestrado que atuam na região, além do ganho do conhecimento que eles já têm, é também um ganho de engajamento e de parceria. Afinal, são profissionais com atuação na região, com afinidade com a área e interessados em desenvolver trabalhos em conjunto com a RPPN”.  

A aplicação do conhecimento na prática reforça a importância de otimizar resultados acadêmicos em aliança ao desenvolvimento territorial. “Na ESCAS você adquire olhar com condição de intervenção. Tivemos a oportunidade de transformar o conhecimento teórico em uma ação prática, em uma ação real onde é possível ver o resultado. Desenvolvemos um material que uniu o trabalho já realizado pela empresa com uma visão de futuro sobre como é possível avançar dentro dessa perspectiva”, afirma Benevaldo Guilherme Nunes, agrônomo especialista em Meio Ambiente e Recursos hídricos do INEMA - Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia.  

"É muito enriquecedor ter o plano de manejo da Estação Veracel revisado e atualizado por um grupo de profissionais multidisciplinares como este. Com certeza este trabalho trará novas visões e formas de aprimorarmos ainda mais nossa atuação como reserva" reforça Virginia Londes de Camargos, coordenadora da Estação Veracel. "Esperamos que esta parceria inspire outras reservas privadas a buscarem este tipo colaboração no meio acadêmico, o que sem dúvida nenhuma trará resultados muito positivos para ambos os lados", afirma.

A importância de atualizar o Plano de Manejo

“Para desenvolver as ações em uma RPPN você precisa que elas estejam atualizadas no Plano de Manejo. Ações de visitação e intervenções na infraestrutura, por exemplo, precisam estar descritas.  Além disso, é possível incluir no Plano de Manejo a captação de recursos e mais mostrar como essa questão se encaixa ao todo. Dessa forma, o gestor terá em mãos um documento oficial com as prioridades validado pelo órgão responsável”, Angela Pellin. 

Confira Resoluções de Desafios recentes trabalhadas pelas turmas do Mestrado Profissional Bahia e de Nazaré Paulista. 

Inscrições abertas para o Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável da ESCAS até 19 de junho de 2021

Turma Porto Seguro/Bahia

Turma Nazaré Paulista/São Paulo 

Em breve, inscrições abertas para a Pós-Graduação em Gestão de Negócios Socioambientais