10 formas de apoiar as Unidades de Conservação da Natureza no Brasil

 

Muita gente entende e reconhece o valor associado às Unidades de Conservação da natureza, mas tem dúvida sobre como poderia contribuir para isso. Então preparamos para você uma lista com 10 formas de apoiá-las e contribuir para o fortalecimento desse imenso patrimônio que é de todos nós. Algumas são muito simples!

1. Visite um Parque ou outra Unidade de Conservação

O primeiro passo para você se envolver e se apaixonar por essas áreas é super simples. Visite e conheça essas áreas. Algumas delas guardam as maiores belezas do nosso país e estão em lugares mais distantes, mas outras podem estar bem pertinho de você. Existem vários parques, inclusive, que estão localizados em áreas urbanas.

2. Se engaje em movimentos de valorização dessas áreas

Existem muitas instituições e movimentos que desenvolvem ações de valorização das Unidades de Conservação. Participe deles! Quanto maior a participação mais claro será para todos que essas áreas são importantes para a sociedade e que queremos que sejam bem cuidadas e possam cumprir seus objetivos.

Alguns exemplos:

- O movimento Um dia no Parque: https://umdianoparque.net/

- O movimento da Rede Brasileira de Trilhas: https://www.facebook.com/sistemabrasileirodetrilhas/

- O movimento Criança e Natureza: https://criancaenatureza.org.br/

- O movimento Seja um Voluntário do ICMBio: https://www.icmbio.gov.br/portal/sejaumvoluntario


3. Divulgue nossos Parques e outras Unidades de Conservação

Sabe aquela foto e aquele vídeo lindo que você fez quando visitou um Parque ou outra unidade de conservação? Divulgue e convide a todos para conhecer também. Conte sua experiência! Muitas pessoas não sabem que essas áreas existem e que estão abertas para recebê-los.

4. Seja um voluntário

Muitas das instituições que cuidam das unidades de conversação no Brasil hoje tem programas de voluntariado. Você pode se inscrever e ter a oportunidade de conhecer bem de pertinho essas áreas e os profissionais que atuam com elas. Dessa forma, contribui com uma boa causa e de quebra ainda pode realizar várias atividades em áreas naturais. Para os estudantes pode ser uma forma de ganhar experiência profissional, para a terceira idade pode ser uma forma de fazer novos amigos e integração e muitos profissionais podem apoiar com seus conhecimentos, fazendo a diferença para a gestão dessas áreas. Temos exemplos como o Programa de Voluntariado do ICMBio, apoiado pelo IPÊ (https://www.icmbio.gov.br/portal/sejaumvoluntario) - Foto: ICMBio.

5. Participe e contribua com as consultas públicas para a criação dessas áreas

As consultas públicas prévias a criação de novas unidades de conservação são estratégias de promover maior participação da sociedade na discussão sobre a localização, limites e categoria das novas áreas que serão criadas. Fique atento e não deixe de participar! É uma oportunidade importante de entender melhor os projetos do poder público federal, estadual e municipal e de contribuir com sua opinião.

6. Participe das reuniões de conselho

As unidades de conservação possuem um conselho com representantes de diversos setores da sociedade que serve para apoiar na sua gestão, discutir desafios e novos projetos e ampliar a participação das populações nessas áreas. Você sabia que todas as reuniões realizadas pelos conselhos são públicas? Informe-se sobre o calendário e participe de uma reunião. Quem sabe você acaba se interessando por acompanhar mais o que está sendo feito e descobre como levar novas demandas ou como ajudar.

7. Defenda essas áreas

Pode parecer mentira, mas mesmo com toda a contribuição que essas áreas dão para a sociedade, existem várias iniciativas para desmatar, degradar seus recursos, reduzir sua área, diminuir o número de funcionários e os recursos financeiros dedicados a elas. Isso acontece porque algumas pessoas estão pensando apenas nos ganhos individuais que podem ter com isso, sem considerar o grande prejuízo para toda a sociedade. O patrimônio natural tem que ser cuidado e mantido para todos! Então não fique calado, quando perceber que isso está acontecendo: denuncie. Você também pode entrar em contato com vereadores, deputados, ministério público e com os órgãos gestores dessas áreas e cobrar deles que essas áreas recebam a atenção e o investimento que merecem.

8. Apoie pesquisas nessas áreas

Se você é um professor ou estudante e está procurando um tema de pesquisa, está aí a solução. Essas áreas são verdadeiros laboratórios onde podem ser realizadas pesquisas de muitos temas! Sobre fauna, flora, aspectos sociais, cultura, administração e manejo, tecnologias e muitas outras! Entre em contato com os responsáveis pelas áreas e descubra quais os principais desafios que elas enfrentam! Sua pesquisa pode ajudar a resolver. Que grande contribuição, hein?!

9.Apoie a educação ambiental

Se você é professor e gostaria de ter algumas experiências na natureza com seus alunos essas áreas são perfeitas. Faça contatos com os responsáveis e se informe sobre as normas de visitação e agendamento. Você pode se surpreender com o que muitas dessas áreas oferecem e os alunos poderão ter uma experiência inesquecível.

10. Faça doações

Todos já sabemos da importância dessas áreas para a sociedade, mas infelizmente muitas delas passam por dificuldades financeiras e poderiam fazer muito mais se contasse com mais recursos para sua proteção, manejo dos recursos, pesquisa, educação ambiental e visitação. Você pode entrar em contato com os responsáveis por essas áreas e descobrir se elas contam com mecanismos para receber doações ou parcerias com instituições sem fins lucrativos que apoiam essas áreas. O IPÊ é um exemplo. Temos atuado com pesquisa, educação ambiental, envolvimento de comunidades locais na gestão, voluntariado, monitoramento participativo e várias outras iniciativas nas UCs. Doe aqui.