IPÊ, ESCAS e ELTI realizam curso gratuito para profissionais do Sul da Bahia

Até setembro, cerca de 20 profissionais com atuação no sul da Bahia participam do curso Adequação Ambiental e Produtiva em Propriedades Rurais, com 90 horas de duração. 

A iniciativa busca capacitar pessoas para o desenvolvimento de uma agricultura de baixo impacto. É resultado de uma construção em rede entre ESCAS - Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade, IPÊ- Instituto de Pesquisas Ecológicas, Programa ELTI - Iniciativa para Treinamento e Liderança Ambiental - da Escola de Floresta da Universidade de Yale, e Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). 

 “É bastante necessário hoje estimular cada vez mais a formação e criação de lideranças na área de extensão rural que é algo de grande importância para o país, especialmente se realizado com bases agroecológicas”, pontua Simone Tenório, que coordena a iniciativa com a pesquisadora Maria Otávia Crepaldi, ambas do IPÊ. 

O curso visa ampliar o conhecimento necessário para a extensão rural nos tempos atuais e fomentar a troca de conhecimento, tendo em vista a implementação de ações práticas na região. Por conta da pandemia, o curso é online, mas com programação desenvolvida para exercícios práticos. Os alunos possuem forte atuação na região, o que tem o potencial também de fortalecer inclusive a atuação em rede. 

“Além dos alunos do NEA - Núcleo de Estudos e Pesquisas em Agroecologia e produção Orgânica Pau Brasil, da Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), convidamos alguns participantes  que atuam na região como extensionistas, técnicos ou ainda analistas das áreas agrícola, florestal ou ambiental indicados pelas seguintes instituições: Programa Arboretum, Rede de Povos da Mata Atlântica, Instituto Floresta Viva, Ciclos, Secretaria de Agricultura da Bahia,  IPEF - Instituto de Pesquisas e Estudos Florestais, Instituto Mãe Terra e o Instituto Arapyaú. Para os alunos extensionistas da UFSB, o curso integra o projeto pedagógico da Residência em práticas agroecológicas e conta como crédito”, completa Maria Otávia.

Entre os temas-chave discutidos estão: Clima, agricultura, agroecologia e políticas públicas de incentivo ao produtor rural; Planejamento e adequação ambiental; Extensão rural e planejamento participativo; Sistemas agroflorestais;  Sistemas silvipastoris, Silvicultura de nativas; Restauração ecológica e monitoramento; Conservação da biodiversidade; Certificação (carbono e orgânica); Gestão de negócios rurais; Práticas em adequação ambiental e produtiva. 

A abertura do curso contou com a aula magna com Carlos Klink, referência nos temas uso da terra, mudança do clima, financiamento verde e parcerias. 

Parceria em prol do desenvolvimento sustentável do sul da Bahia 

A ELTI atua no Brasil, Colômbia, Panamá, Filipinas e Indonésia, por meio de uma rede de parcerias com organizações da sociedade civil. A nova parceria com a ESCAS-IPÊ e UFSB é uma inovação para todas as organizações e une as expertises com o propósito de levar educação sobre técnicas rurais e sustentabilidade a cada vez mais pessoas, em várias partes do Brasil. “Agradeço a todos os envolvidos nesse lançamento. Esse é um novo curso também para nós, desenvolvido dentro dessa nova fase de parceria”, comentou Eva Garen, diretora da ELTI. 

A bióloga Saskia Santamaría associada ao Programa de Treinamento do Neotrópico, ELTI/Panamá, destacou a importância de agregar diferentes conhecimentos. “Esse é o nosso 26° curso, com ele buscamos alinhar os componentes teóricos com a aplicação no campo. Nos cursos contamos com parceiros que adaptam o conhecimento de acordo com cada realidade. Além dos cursos, atuamos também no apoio técnico e na mentoria para implementação no campo do que foi aprendido”. 

Mais de 8.100 lideranças já passaram pelos cursos desenvolvidos pela ELTI em conjunto com parceiros. A Iniciativa de Yale conta com uma biblioteca aberta com mais de 800 publicações na área de restauração tropical em português, inglês, francês e espanhol.