Auto-Fortalecimento da Cultura Baré, por meio do Turismo Comunitário e da valorização do artesanato na Comunidade de Nova Esperança.

Projeto pela valorização do trabalho justo na educação indígena, na qualificação e na atuação das mulheres na cadeia de valor do artesanato e do turismo, na comunidade Nova Esperança (AM).

Sobre o projeto

Nova Esperança localiza-se no Rio Cuieiras, dentro do território do município de Manaus (AM), na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Puranga Conquista. A comunidade está em uma região central do Roteiro de Turismo de Base Comunitária do Rio Negro (Tucorin), uma iniciativa para um tursimo mais sustentável, que gera incentivos econômicos e valoriza a cultura de comunidades locais.

Por meio do Roteiro, os turistas podem conhecer e vivenciar o dia-a-dia de populações ribeirinhas e destinar seus recursos diretamente às comunidades, sem intermediários. Por sua localização, bastante próxima a Manaus, Nova Esperança concentra a recepção de visitantes que contratam os serviços do Tucorin. A comunidade é referência iconográfica para o artesanato e para promoção da cultura indígena Baré, entretanto, a proximidade com o centro urbano, faz com que ela receba várias influências que podem culminar em uma gradual descaracterização das raízes de sua etnia.

Em 2016, o IPÊ e o Instituto C&A, em parceria com a Secretaria Estadual de Meio-Ambiente (SEMA) e a USAID, fomentaram a construção da “Casa do Conhecimento”, Uka Yayumbué Baiakù (UKA), um centro de cultura que beneficia a comunidade local e as populações das adjacências, com opções de leitura e atividades de fortalecimento das tradições.

Como forma de ampliar esse impacto, a iniciativa passou a ser uma estratégia para promover a disseminação intercultural e a reafirmação e o fortalecimento da etnia Baré. Com o projeto, até 2017, serão desenvolvidas atividades com foco na sociobiodiversidade, para fortalecimento e empoderamento da comunidade a fim de valorizar o trabalho justo, a educação indígena, a qualificação e a atuação das mulheres na cadeia de valor do artesanato e do turismo. O objetivo é, também, por meio da visitação responsável na UKA, valorizar a identidade cultural, promovendo uma vivência autêntica e o reconhecimento do artesanato Baré.