Últimas Notícias

Agora já é possível fazer suas doações ao IPÊ por meio do PayPal. O Instituto, inclusive, faz parte da lista de ONGs no site da empresa.

Você pode escolher entre uma doação única ou doar uma quantia por mês.

Os recursos são aplicados no IPÊ e ajudam nossos trabalhos de conservação da biodiversidade brasileira e sustentabilidade.

O IPÊ atua na Mata Atlântica, na Amazônia, no Pantanal e no Cerrado, com pesquisas de espécies, educação ambiental, envolvimento comunitário e negócios sustentáveis, além de planejamento e restauração de paisagens. Somos responsáveis pelo plantio de 2,6 milhões de árvores nativas na Mata Atlântica e pela formação do maior corredor florestal restaurado no Brasil, no oeste de São Paulo. Nossas ações envolvem cerca de 10 mil pessoas por ano, incluindo famílias de assentados rurais e populações ribeirinhas que são orientadas e capacitadas a produzirem de maneira mais sustentável.

Doe agora!

Trabalhar com estatística em Biologia pode ser simples e ao mesmo tempo divertido. É o que garante o pesquisador Marcos Vital. Coordenador do Laboratório de Ecologia Quantitativa (UFAL) e autor do blog "Cantinho do R" e do programa de treinamento online "R para Biologia da Conservação", Marcos será o professor do próximo curso da ESCAS/IPÊ em Análise de Biodiversidade com Software R. Para ele, ao escolher as ferramentas adequadas, é possível simplificar muito a vida de quem precisa da estatística e do software R em análises para conservação da biodiversidade.

"Um dos maiores mitos que existem em torno da estatística aplicada à Biologia é que tudo se trata de complicar, usar os métodos mais sofisticados, apresentar aquelas fórmulas completamente cabulosas e testes complexos com nomes tão compridos que precisam ser resumidos em siglas do tipo 'GLMMXYZ'… Mas isso é, de fato, um mito! Para nós, cientistas e profissionais que estudam biodiversidade, a estatística deve ser apenas uma ferramenta, nada mais. E, como ferramenta, ela deve ajudar o pesquisador: deve ser capaz de fazer com que ele entenda os seus dados, por mais complexos que eles sejam. Deve, então, descomplicar as coisas", escreveu ele no Blog do IPÊ.

Para ajudar profissionais que lidam com esse desafio, a ESCAS/IPÊ realiza o curso de 12 a 15 de novembro, em Nazaré Paulista (SP). Durante as aulas, serão abordados aspectos fundamentais de planejamento, coleta e análise de dados de diversidade biológica, com especial foco na aplicação de métodos estatísticos usando o software R. Os participantes serão capacitados a coletar e analisar dados; escolher os melhores métodos de análise e aplicá-los corretamente usando o R; planejar os estudos de maneira adequada a responder perguntas e atender os pressupostos dos métodos estatísticos; escolher os melhores métodos de coleta, coerentes com os tipos de análises a serem realizadas em cada situação; e conhecer métodos de estimativas de riqueza de espécies e de esforço amostral, passando por métodos considerados clássicos e conhecendo novas metodologias disponíveis no R.

Para quem tem interesse, a ESCAS oferece um treinamento gratuito online.  

Para se inscrever no curso presencial, CLIQUE AQUI. Vagas e preços promocionais limitados.

Considerado um dos 10 melhores projetos apoiados pelo Instituto Lojas Renner entre 2015 e 2016, o projeto do IPÊ "Talentos da Natureza" está entre os finalistas do prêmio Destaque em Geração de Emprego e Renda oferecido pelo próprio Instituto em parceria com a Aliança Empreendedora.

A proposta da iniciativa foi buscar talentos entre mulheres moradoras de Nazaré Paulista, em São Paulo. A região é estratégica do ponto de vista da proteção ambiental e tem sido foco dos trabalhos do IPÊ especialmente para a proteção da Mata Atlântica e dos serviços ecossistêmicos, como os recursos hídricos. Ali, o IPÊ buscou desenvolver as capacidades empreendedoras e os olhares das mulheres para a causa ambiental. O resultado foi a criação de um grupo de empreendedoras que agora busca se destacar em suas frentes de atuação - artesanato e produção de cosméticos, com produtos que representem as tradições de Nazaré Paulista.

"Mapeamos os talentos na cidade, ouvindo o que as mulheres desejavam construir para as suas vidas, como empreendedoras. Discutimos sobre os desafios socioambientais locais e, para nossa felicidade, elas decidiram apostar em empreender criando produtos que possam reduzir os impactos ambientais do município, como a questão dos resíduos sólidos", explica Fernanda Pereira, coordenadora do projeto.

Ao longo de nove meses, 27 mulheres do município (a maioria moradora da área rural) participaram de nove oficinas destinadas ao empreendedorismo feminino. Com metodologia da Aliança Empreendedora, as participantes puderam descobrir seus potenciais como empreendedoras e também como aplicar seus talentos em produções sustentáveis. Cada mulher produz agora artigos com reciclagem de papel (papietagem), além de produtos naturais de limpeza e cosméticos, cujas matérias primas são beneficiadas com o adubo produzido por compostagem, que reduz o volume de resíduo orgânico destinado aos aterros.

Os vencedores do prêmio serão conhecidos no dia 18 de outubro.

Importante região de conservação da Mata Atlântica, que abriga espécies da fauna e protege recursos hídricos, Nazaré Paulista (SP) também é local de recursos florestais muito utilizados pela população e fundamentais para a biodiversidade. A lista com mais de 180 espécies dessa Flora Regional pode ser acessada no site flora.ipe.org.br e algumas das variedades de plantas nativas podem ser vistas ao vivo na Festa de Flores e Morangos de Atibaia.

No banco de dados online é possível encontrar informações sobre localidade, nome científico, características, indicações de uso, entre outras referências sobre as plantas, que podem ser usadas em programas de restauração e de reflorestamento.

“Esse Banco de Dados da Flora vai além de informações sobre a importância biológica das árvores e plantas locais. ali é possível também encontrar a história de seus principais usos e seu valor - econômico e até mesmo afetivo - para a população da região”, salienta a pesquisadora do IPÊ, Patrícia Paranaguá.

Para fazer o levantamento dessas plantas, o projeto “Flora Regional” envolveu pesquisa etnobotânica e histórica junto aos próprios moradores da zona rural de Nazaré Paulista. Durante dois anos, pesquisadores registraram os conhecimentos locais da população sobre as plantas, principalmente relacionados à diversidade percebida e utilizada.

“Como resultado, no total, foram mapeados os usos de 63 espécies nativas, das quais 22 foram classificadas como as mais importantes em valor de uso para a população local. Além disso, foram coletados os relatos em áudio com as percepções e as lembranças sobre acontecimentos, lugares, modos de vida e saberes da população”, explica a pesquisadora.

Estudantes que visitarem a Festa de Flores e Morangos de Atibaia terão acesso a informações sobre algumas espécies da flora regional e atividades de educação ambiental.

Festa de Flores e Morangos de Atibaia
Data: de 02 até 25 de setembro de 2016
As sextas, sábados e domingos - incluindo dias 07 e 08, quarta-feira e quinta-feira
Horários: das 09h até 18h
Local: Parque Municipal Edmundo Zanoni, Av. Horácio Neto, 1030
Cidade: Atibaia, SP
Telefone – 0800-555-979
www.floresemorangos.com.br

Em ação integrada com o Parque Estadual Morro do Diabo (PEMD), a Divisão Municipal de Meio Ambiente, a Polícia Ambiental e o Centro Paula Souza (Nair Luccas Ribeiro), o IPÊ celebrou o Dia da Árvore com a doação de 280 mudas nativas da Mata Atlântica, na cidade de Teodoro Sampaio (SP), Pontal do Paranapanema.

As mudas foram distribuídas no Espaço IPÊ na praça central. Sitiantes, assentados da reforma agrária e moradores da zona urbana aproveitaram o dia para obter as mudas que são plantadas em quintais e espaços rurais. O IPÊ contou com a participação de 40 estudantes do Centro Paula Souza que distribuíram as mudas também em estabelecimentos comerciais àqueles interessados em plantar e acompanhar o crescimento das árvores.