Últimas Notícias

O IPÊ vai promover, no dia 19 de julho, uma visita de monitoramento da área restaurada na Estação Ecológica (ESEC) Mico-Leão Preto (Euclides da Cunha Paulista/Teodoro Sampaio). A área, plantada pelo IPÊ no começo de 2018, por meio de um projeto do WWF e com apoio do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), receberá a visita de membros da comunidade e técnicos do Instituto, que irão falar sobre a restauração florestal ecológica realizada no local.

"É uma atividade de integração ser humano e natureza, com a finalidade de divulgar nossas ações na região, falar da importância da Estação Ecológica. Essa é também uma forma de buscar apoio comunitário para os plantios realizados e despertar o orgulho e reconhecimento do local como importante junto aos atores locais", destaca a coordenadora de educação ambiental do IPÊ, Maria das Graças Souza.

O reflorestamento na ESEC é parte de um projeto sobre mudanças climáticas chamado Climate Crowd. Em 2017, o IPÊ realizou um levantamento na região, entrevistando 33 moradores e trabalhadores da área rural sobre a percepção deles a respeito do clima. Na pesquisa, os entrevistados associaram as mudanças do clima ao longo das últimas duas décadas com as mudanças percebidas na natureza como a falta de sazonalidade nas estações do ano, o desaparecimento e a mortalidade de espécies e o avanço de pragas. A partir desse diagnóstico, foram traçadas algumas estratégias de mitigação e adaptação às mudanças climáticas localmente, como o plantio de árvores.

DIA: 19/07/2018 
HORÁRIO: 09:00
LOCAL DE ENCONTRO E ORIENTAÇÃO:
IPÊ – INSTITUTO DE PESQUISAS ECOLÓGICAS 
Rua Ricardo Fogarolli, 387 – Vila São Paulo – Teodoro Sampaio-SP 
Informações adicionais: 
(18) 3281 6046 – [email protected] 
(18) 3282-3924 – [email protected]

Suzana Padua, presidente do IPÊ, foi premiada pelo Conselho de Ex-Alunos do Centro de Estudos Latino-Americanos (LAS) da Universidade de Flórida (UF) com o Lifetime Achievement Award 2018. O prêmio foi criado para reconhecer ex-alunos da universidade cujas realizações ao longo dos anos tiveram um impacto significativo em seu campo de forma regional, estadual ou nacional. A premiação leva em conta o papel de liderança e serviço à comunidade e à sociedade, bem como as conquistas significativas na carreira. Suzana foi reconhecida especialmente pelo histórico de liderança na capacitação para conservação e educação ambiental por meio, principalmente, da criação do IPÊ, do programa de educação ambiental e da ESCAS - Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade.

"Esse é um prêmio conjunto, de toda uma equipe talentosa e comprometida, que é a maior riqueza da instituição que Claudio e eu apenas iniciamos. O grupo hoje tem essa bandeira socioambiental e leva a Educação como um princípio em tudo o que fazemos. A Educação como agenda no IPÊ veio de uma influência da nossa formação", destaca Suzana.

Com mestrado concluído na Universidade da Flórida (UF), em 1991, com foco em educação ambiental e, posteriormente, o doutorado na Universidade de Brasília (UnB), em 2004, Suzana publicou mais de 50 artigos e orientou 30 estudantes de Mestrado, ao longo de sua carreira até o momento. Por conta de ações que influenciaram a transformação socioambiental e a vida de muitos estudantes, profissionais e membros da comunidade rural, especialmente mulheres, foi reconhecida por 17 prêmios nacionais e internacionais. O trabalho ao lado de seu marido, Claudio Padua, desenvolvendo programas de pós-graduação pioneiros, foi inspirado pela formação interdisciplinar que ambos receberam no Centro de Estudos Latino-Americanos da UF e no programa de Conservação e Desenvolvimento Tropical (TCD) do Centro.

 “O Centro de Estudos Latino-Americanos e TCD influenciou Claudio e eu tremendamente. Quando estávamos montando o currículo dos cursos de curta duração do IPÊ, Masters e até do MBA, usamos nossa experiência interdisciplinar na UF como base para o que queríamos oferecer. É assim que os temas sociais e ambientais se tornam inseparáveis, dando à vida mais significado e valor”, afirmou Suzana. Para preparar os indivíduos para abordar questões socioambientais complexas, o IPÊ desenvolveu um programa inovador de prática de ensino e aprendizagem. Estudantes e profissionais podem progredir em suas carreiras através do Mestrado Profissional em Conservação da Biodiversidade e Desenvolvimento Sustentável do IPÊ, ou um MBA em Negócios Socioambientais, que é projetado para introduzir a sustentabilidade como base para profissionais de negócios.

 

O Encontro para aumentar a segurança hídrica no Sistema Cantareira no início de julho (03) marcou um momento-chave do projeto Semeando Água com o fortalecimento da articulação entre produtores rurais, pesquisadores, representantes da iniciativa privada e da esfera governamental. O evento com mais de 10 apresentações foi realizado na sede do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas, em Nazaré Paulista, município que faz parte do Sistema Cantareira. O projeto Semeando Água é uma iniciativa do IPÊ, com patrocínio da Petrobras, através do programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal.

Os participantes articularam conhecimentos, compartilharam experiências e mais do que isso iniciaram o desenvolvimento juntos com a equipe do Semeando Água e dos palestrantes de uma carta de compromisso com o Sistema Cantareira.  

E esse é apenas o ponto de partida, como revela Simone Tenório, pesquisadora do IPÊ e Coordenadora de Políticas Públicas do projeto Semeando Água. “Desde o início da concepção do evento buscamos formas de articular os múltiplos atores sociais, tendo em vista a criação de uma visão integrada como forma de embasar as ações necessárias à resiliência do Sistema Cantareira. A partir da carta, que marcou o início de uma nova fase, vamos desenvolver – em conjunto com os participantes do evento, palestrantes e convidados – um Plano de Ação. O objetivo é mobilizar ainda mais interessados em somar esforços em direção à proteção dos recursos hídricos, o que passa por recuperação/conservação do solo, responsabilidade no uso da água, melhor manejo das pastagens, restauração florestal, entre uma série de medidas que possuem extrema relação com a água”.

Saiba detalhes no blog Semeando Água