Projeto AR Corredores de Vida (Carbono)
Projeto AR Corredores de Vida (Carbono)

A partir de 2021, o projeto Corredores de Vida realizado desde 2002 pelo IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas passou a contar com as ações ampliadas pela parceria entre IPÊ e a Biofílica Ambipar Environment. Juntos, IPÊ e Biofílica realizam o projeto AR (Afforestation / Reforestation) Corredores de Vida (Carbono) com foco na geração de créditos de carbono a partir da restauração florestal da Mata Atlântica na região no Pontal do Paranapanema, no extremo Oeste Paulista.

O projeto Corredores de Vida tem como alvo as áreas prioritárias para restauração identificadas pelo Mapa dos Sonhos/IPÊ em sete municípios da região: Euclides da Cunha Paulista, Marabá Paulista, Mirante do Paranapanema, Presidente Epitácio, Rosana, Sandovalina e Teodoro Sampaio. 

Com a adesão do componente de mitigação de Carbono, as áreas prioritárias para restauração passaram a incluir mais 23 municípios, totalizando 30: Alfredo Marcondes, Alvares Machado, Anhumas, Caiabu, Caiuá, Emilianópolis, Estrela do Norte, Indiana, João Ramalho, Martinópolis, Narandiba, Piquerobi, Pirapozinho, Presidente Bernardes, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Rancharia, Regente Feijó, Ribeirão dos Índios, Santo Anastácio, Santo Expedito, Taciba e Tarabai.

Nos anos iniciais, 2021 e 2022, o projeto Corredores de Vida (Carbono) visa restaurar 250 hectares na região, o equivalente a 500 mil mudas de árvores da Mata Atlântica. A expectativa é atrair empresas interessadas na geração dos créditos de carbono. Ao todo, entre restauração, por meio do plantio de mudas, enriquecimento ou condução da regeneração, o projeto vai contribuir com a conversão de 75.000 hectares de áreas de passivos ambientais de propriedades privadas em áreas restauradas com cerca de 150 milhões de novas mudas de árvores.

Plantar 150 milhões de novas árvores em áreas que somadas chegam a 75.000 hectares e serão responsáveis pela geração de um estoque de mais de 28 milhões de créditos de carbono AR, removendo da atmosfera mais de 36 milhões de tCO2eq em 44 anos.

Os créditos serão comercializados no mercado voluntário de carbono utilizando os padrões de certificação VCS e CCB do VERRA a partir da Metodologia CDM: AR-ACM0003 – (Grande Escala) Florestamento e reflorestamento de terras, exceto áreas alagadas).

Laury Cullen, coordenador de projeto

Eduardo Ditt, diretor executivo

Haroldo Gomes, coordenador de campo

Aline Souza, assistente de desenvolvimento de campo

Amanda Garbim Ceballos, assistente de desenvolvimento de campo

Nivaldo Campos, assistente de desenvolvimento de campo

Henrique Shirai, especialista em SIG

Ricardo Cesar, especialista em restauração

Williana Marins, gestora de projetos

Rafael Lofti, assessor jurídico

Aires Aparecida Cruz, auxiliar administrativo