Últimas Notícias

Por meio da INCAB - Iniciativa Nacional para Conservação da Anta Brasileira, o IPÊ está apoiando ações de combate aos incêndios no Pantanal. A área onde concentramos nossos estudos, ao sul do bioma, não foi afetada, mas estamos dando todo o suporte possível a outras áreas que sofrem. Mais de 20% do Pantanal já virou cinzas. Milhares de animais estão morrendo, inclusive antas, animal que estudamos e lutamos para conservar de diversas formas há quase 25 anos.

Nas últimas duas semanas, fizemos contato com pessoas e organizações que trabalham na linha de frente do combate a incêndios e resgate de animais, tanto no norte como no sul do Pantanal para identificar as melhores formas de apoiá-los. Assim, estamos ajudando da seguinte maneira:

 

  • DISPONIBILIZANDO PROFISSIONAIS E CONHECIMENTO TÉCNICO
    Muitas antas queimadas estão sendo resgatadas pelas equipes que estão em campo, que nos pediram apoio técnico para capturá-las, anestesiá-las e tratá-las. Em resposta a isso, enviamos todos os nossos manuais veterinários, orientações, protocolos de anestesia, checklists, orientações ex-situ, procedimentos laboratoriais. Também criamos um grupo Whatsapp incluindo nossa rede de veterinários de antas e equipes de experts em resgate de animais (veterinários, biólogos, tanto no campo quanto em universidades e centros de reabilitação de vida selvagem que recebem animais que precisam de cuidados adicionais). A ideia é que essas pessoas possam nos alcançar o mais rápido possível sempre que precisarem de ajuda com antas. Estamos nos colocando à disposição 24 horas nos sete dias da semana.
  • LEVANTANDO DOAÇÕES PARA AJUDAR OS ANIMAIS E COMBATER O FOGO

PORTUGUÊS - https://ipe.org.br/adote-anta
INGLÊS - https://ipe.org.br/en/donate-now/donate-to-tapir

As equipes precisam desesperadamente de equipamentos e suprimentos veterinários. Eles estão fazendo o melhor que podem, com poucos recursos. Em resposta a essa necessidade específica, estamos levantando fundos – até o fim de outubro, o que for doado à INCAB será destinado ao combate desses incêndios e ajuda aos animais, via organizações que atuam diretamente nessa grave crise.
Vamos usar o recurso para compra de equipamentos veterinários que vão chegar até as equipes em segurança. Parte dos recursos arrecadados também será destinada para comprar equipamentos de combate a incêndio, incluindo equipamentos de proteção para bombeiros (como botas, calças, camisas, luvas, capacetes e óculos especiais para proteção dos olhos) e bombas de água, mangueiras de incêndio, pás, motosserras, sopradores de ar, cortadores de mato, etc. Obteremos o máximo possível desses itens.

FAÇA A SUA DOAÇÃO E COMPARTILHE ESSA INFORMAÇÃO. NUNCA O PANTANAL PRECISOU TANTO DA SUA ATENÇÃO COMO AGORA.

Fotos ECOA - Ecologia e Ação

Na terça-feira, 29 de setembro, das 20:30 às 21:00, tem Live imperdível no instagram do IPÊ! 

Bate-papo com duas profissionais do IPÊ que atuam no MPB – Monitoramento Participativo da Biodiversidade, em Unidades de Conservação na Amazônia. Cristina Tófoli e Marcela Juliana vão conversar sobre uma série de questões que envolvem o monitoramento para a conservação do recurso. 

Afinal, como é feito o monitoramento participativo do pirarucu? Desde quando? Quais motivos levaram à implementação desse monitoramento? Quem participa? Como as comunidades se organizam para seu manejo? Quais são os benefícios do monitoramento participativo do pirarucu? De que forma o monitoramento contribui com a conservação da espécie? Houve alguma alteração no monitoramento do pirarucu por conta da pandemia? De que forma o monitoramento participativo beneficia também as próximas gerações?

Venha saber mais!

@institutoipe
www.instagram.com/institutoipe

Dia 22/09, no Instagram: Live Castanha-da-Amazônia 

Na terça-feira 22 de setembro, das 20:30 às 21:20, tem Live no instagram do IPÊ, imperdível! Bate-papo com três profissionais do IPÊ que atuam no MPB –  Monitoramento Participativo da Biodiversidade, em Unidades de Conservação na Amazônia. Cristina Tófoli, Camila Lemke e Ilnaiara Sousa vão conversar sobre uma série de questões que envolvem o monitoramento para a conservação do recurso.  

Afinal, como o monitoramento da castanha-da-Amazônia contribui com as comunidades locais? Como é feito esse trabalho? Desde quando? Quais motivos levaram à implementação desse monitoramento? Quantas Unidades de Conservação participam? Houve alguma alteração no monitoramento da castanha-da-Amazônia por conta da pandemia? De que forma o monitoramento participativo beneficia também as próximas gerações? 

 

@institutoipe 

 

https://www.instagram.com/institutoipe

 

 

Programe-se: 15/09 - 20:30 às 21:00 Live Uirapuru Canta: Como diminuímos a distância com as comunidades na Amazônia em tempos de pandemia? Nesse bate-papo, Cristina Tófoli, coordenadora do projeto MPB – Monitoramento Participativo da Biodiversidade, conversará com Lívia Maciel Lopes, pesquisadora que atua na Amazônia, sobre a experiência do IPÊ para superar o desafio da comunicação com as comunidades da Amazônia diante do cenário de pandemia.

@institutoipe

www.instagram.com/institutoipe

 

 

costurando o futuroComprar é mais do que uma simples escolha, começa com a peça, mas vai além, reforça também valores, ainda que muitas vezes de maneira inconsciente. Já imaginou tornar as suas compras mais representativas daquilo que você realmente acredita? No site da loja do IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas (https://loja.ipe.org.br), você tem a oportunidade de: adquirir produtos que valorizam a biodiversidade nacional, contribuir com a conservação dessa mesma biodiversidade e ainda gerar renda para famílias de bordadeiras da zona rural de Nazaré Paulista e de produtores rurais do Pontal do Paranapanema (SP). 

Na loja do IPÊ, as camisetas adulto e infantil são confeccionadas 100% em algodão e destacam nas estampas a fauna e a flora brasileira.  Mico-leão-preto, bicho-preguiça, quati, arara, jacu, peixe-boi, sauá, anta, papagaio-da-cara-roxo e o tatu-canastra estão entre as espécies representadas nas coleções.  Para quem ficar na dúvida sobre qual modelo escolher vale a pena considerar a camiseta Biodiversidade! A flora também tem seu lugar garantido na loja do Instituto, com direito à jabuticabeira, mudas e à diversidade dos ipês. Uma das campeãs de vendas é a camiseta que traz a biodiversidade para o mapa do Brasil com bordado nas costas. Para as crianças, uma série de peças com estampas e bordados inspirados nos animais nativos do Brasil, fica a dica!

Além das camisetas, a loja também conta com bolsa para notebook, ecobag e necessaire – todas inspiradas na biodiversidade. Diante de pandemia, a loja investiu em uma linha de máscaras - modelos adulto e infantil (de 6 a 10 anos) - com elementos da biodiversidade, vale a pena conferir! Para relaxar em casa, as consagradas máscaras bicho preguiça e onça despontam como ótima opção. 

Todos esses produtos da loja são o resultado do Projeto Costurando o Futuro, realizado desde 2002 na zona rural de Nazaré Paulista, interior de São Paulo, com famílias de bordadeiras da região que complementam a renda por meio dos valores obtidos com a venda dos produtos. As coleções contam com orientações de reconhecidos designers de moda, como Sarita Dal Pozzo, Ana Laet, Simone Nunes, além do franco-brasileiro Fábio de Sá. Eles acreditam no conceito de que moda e natureza têm tudo a ver e podem caminhar juntas promovendo o desenvolvimento socioambiental e a melhoria da qualidade de vida em comunidades. Os quatro contribuíram com o Projeto de forma voluntária.

No site da loja do IPÊ também é possível encontrar uma linha de bucha vegetal customizada com a fauna nacional. Onça, anta, mico, borboleta e peixe estão entre os modelos. 100% do valor obtido com a venda desses produtos é destinado aos produtores rurais, que cultivam as buchas na região do Pontal do Paranapanema (SP), junto a Sistemas Agroflorestais, os SAFs, que misturam produção de alimentos e diversas culturas com o plantio de árvores da Mata Atlântica.

Havaianas IPÊ 

 

Há 16 anos, IPÊ e as Havaianas têm uma parceria que encanta os brasileiros e o mundo por meio das Havaianas IPÊ, sandálias com estampas que retratam a fauna e flora das matas brasileiras. Comercializadas em cerca de 100 países, elas colaboram para a conservação da biodiversidade do Brasil, com repasse de 7% das vendas líquidas para o Instituto. Durante todos esses anos, mais 14 milhões de pares de sandálias já foram vendidas. Mico-leão-preto, onça-pintada, gavião-real, tamanduá-bandeira, jacaré-de-papo-amarelo estão entre as espécies que estamparam, até o momento, as 15 coleções da linha entre adulto e infantil. Atualmente, gato mourisco, perereca-da-folhagem e araçari banana são as estrelas! As Havaianas IPÊ já destinaram mais de 9,2 milhões de reais para a causa do Instituto.

 

Café com floresta

O café à venda no site do IPÊ - produzido no Pontal do Paranapanema, no extremo Oeste do estado de São Paulo -  é conhecido como café com floresta, e tem como base a implementação de um sistema diversificado, que associa o café (Coffea arabica L.) com o cultivo de culturas anuais como feijão, milho, mandioca e espécies de árvores nativas da Mata Atlântica. Dessa forma, desde 2001, os agricultores assentados de reforma agrária atrelaram restauração florestal com geração de renda; 100% do valor obtido com a venda é destinado aos produtores rurais. A iniciativa gera benefício à terra, à biodiversidade, ao produtor e ao consumidor.

A presença das árvores neste sistema possibilita menor susceptibilidade à geada - um grande risco na produção do café. Além disso, com o manejo agroflorestal reduzem-se os danos causados pelo uso do agrotóxico, que afetam o produtor, o meio ambiente e quem consome os produtos ali gerados. Outra vantagem desse processo é a autossuficiência do produtor na condução da cultura do café, pois os insumos (biofertilizantes, inseticidas orgânicos e o homus de minhoca utilizado na adubação do café) podem ser encontrados na sua propriedade ou produzidos pelo agricultor, diminuindo os custos do cultivo

Confira esses e mais de 50 produtos na Loja do IPÊ: http://www.lojadoipe.org.br/