Encontros dos Saberes movimentam UCs da Amazônia
Encontros dos Saberes movimentam UCs da Amazônia

As ações, promovidas pelo IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas em parceria com o ICMBio, já foram realizadas em três unidades de conservação este ano.

Moradores da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Itatupã-Baquiá, no Pará, se reuniram, no último dia 8 de abril, para dialogar a respeito dos resultados do monitoramento participativo da biodiversidade realizado no local. O encontro, promovido pelo Projeto de Monitoramento Participativo da Biodiversidade (MPB), do IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas, em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), reuniu cerca de 70 comunitários.

Adison Ferreira DSC 2475

Durante o evento, monitores locais e pesquisadores do IPÊ e do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica (Cepam), do ICMBio, compartilharam as experiências da coleta de dados do automonitoramento da pesca sobre as espécies de peixes encontradas na região e debateram os resultados do projeto de monitoramento de 2017 a 2021. “Esse momento é fundamental para consolidar a nossa proposta de monitoramento participativo. Pois, toda a comunidade é chamada para discutir sobre os resultados da pesquisa e, a partir dessa troca de saberes, de fato, apontar os melhores caminhos para a conservação desse território”, destaca Ana Maira Neves, pesquisadora do IPÊ.

Segundo o monitor local Manoel Chaves de Sousa, conhecido como seu Codó, a atividade ajuda a fortalecer a organização comunitária da unidade de conservação. “Acompanhar os resultados do monitoramento é importante para toda a comunidade. Primeiro porque nos abastece de informação sobre a nossa biodiversidade. Segundo porque fortalece a nossa conscientização sobre a preservação da natureza. E terceiro, auxilia no nosso fortalecimento comunitário, incentivando a participação de todos nesse diálogo”.

A RDS Itatupã-Baquiá foi a terceira unidade de conservação da Amazônia a sediar a temporada 2022 do Encontro dos Saberes. Os outros dois eventos foram realizados na Reserva Biológica (REBIO) do Rio Trombetas, no Pará, e na Reserva Extrativista (RESEX) Baixo Juruá, no Amazonas.

Adison Ferreira RDS IB 22

 

Rio Trombetas

O encontro sediado na REBIO do Rio Trombetas abriu a temporada dos Encontros de Saberes este ano. A atividade reuniu 45 participantes, entre comunitários, monitores locais, gestores da unidade de conservação e pesquisadores do IPÊ e ICMBIO. O evento, realizado no dia 24 de março, apresentou as análises parciais do monitoramento de quelônios aquáticos amazônicos e destacou a dinâmica populacional das espécies Tracajá, Tartaruga-da-Amazônia e Pitiú.

 

Virginia Bernardes ES Rio Trombetas 22web

Baixo Juruá

Na RESEX Baixo Juruá, a ação reuniu 82 pessoas. Durante o encontro, os participantes acompanharam e discutiram os resultados do automonitoramento da pesca, que envolvem diversas espécies, e do monitoramento do manejo do pirarucu.

O encontro, realizado no dia 1º de abril, ocorreu no galpão da paróquia de Nossa Senhora de Fátima, no município de Juruá. Além dos monitores locais e pesquisadores do IPÊ e ICMBio, o encontro também contou com a participação de lideranças comunitárias da Floresta Nacional (Flona) de Tefé e representantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Produção e Abastecimento de Juruá, Polícia Militar do Estado do Amazonas, Gabinete Municipal, Colônia de Pescadores Z-21, Câmara Municipal de Juruá.

Troca de Saberes

Desde o início do projeto MPB, em 2014, o Instituto de Pesquisas Ecológicas já realizou 11 encontros de saberes presenciais e dois seminários amplos envolvendo diversos parceiros da instituição como lideranças locais, gestores do ICMBio, monitores e pesquisadores.

Este ano ainda estão previstos mais seis encontros presenciais em unidades de conservação. Os eventos serão realizados na RESEX Rio Unini e Parque Nacional do Jaú, no Amazonas; RESEX do Cazumbá-Iracema, no Acre; Floresta Nacional Jamari e RESEX Rio Ouro Preto, em Rondônia; e Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, no Amapá. 

O Projeto MPB conta com apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional - USAID e da Fundação Beth Moore.

Quer apoiar este e mais outros trabalhos do IPÊ? DOE AGORA.