Moradores da Resex do Rio Unini realizam I Feira do Pirarucu Manejado

MPB Acompanhamento pirarucu Marcela SilvaManejadores de pirarucu da Reserva Extrativista (Resex) do Rio Unini, localizada no Estado do Amazonas, município de Novo Airão, na Amazônia, promoveram pela primeira vez a I Feira do Pirarucu Manejado, em outubro. Cerca de 10 monitores da biodiversidade estavam envolvidos com a ação. Os monitores integram o projeto MPB – Monitoramento Participativo da Biodiversidade, um projeto do IPÊ com o ICMBio - Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, por meio do MONITORA - Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade e do CEPAM – Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica que coordena o subprograma aquático continental. O IPÊ apoiou a realização do evento. 

Marcela Silva, pesquisadora do IPÊ (foto), conta que as expectativas com o evento foram atingidas. 

“Os comunitários da Resex conseguiram vender os 15 pirarucus separados para o evento que deve ser promovido anualmente. Além da comercialização, com a feira, mais pessoas que vivem no município passaram a conhecer o trabalho realizado pela comunidade da Resex, o que também é estratégico”. 

O pirarucu é o maior peixe com escamas de água doce do mundo. O projeto MPB/IPÊ atua na implementação do monitoramento da biodiversidade com protocolos e indicadores que servirão de subsídio na melhoria da organização social e econômica da cadeia do Pirarucu das UCs. “O fato de o monitoramento ser participativo permite que pesquisadores, comunitários, gestores e parceiros possam discutir juntos resultados e aperfeiçoamentos. Não é para eles e sim com eles, o que facilita a tomada de decisão sobre o uso dos recursos naturais”, destaca Marcela. 

Além do IPÊ, a atividade também conta com o acompanhamento do Núcleo de Gestão Integrada (NGI/ICMBio) de Novo Airão (AM) e com a participação das comunidades de Vista Alegre, Tapira, Manapana, Terra Nova, Floresta II e Lago das Pedras. Além da Resex do Rio Unini, o monitoramento do pirarucu também é realizado pelos comunitários do Parque Nacional (Parna) do Jaú (AM) e da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Amanã (AM).

Sobre o MPB

O Projeto de Monitoramento Participativo da Biodiversidade em Unidades de Conservação da Amazônia (MPB) apoia a implementação do Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade (Monitora), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e conta com apoio da Fundação Gordon e Betty Moore, USAID, Programa ARPA e mais de 20 instituições locais.

Desde 2013, o projeto realiza o monitoramento participativo da biodiversidade e promove o envolvimento socioambiental para o fortalecimento da gestão e da conservação da biodiversidade em unidades de conservação da Amazônia. Esse processo é estratégico para entender e moderar a extensão de mudanças que possam levar à perda de biodiversidade local, subsidiar o manejo adequado dos recursos naturais e promover a manutenção do modo de vida das comunidades locais e a obtenção de renda de maneira sustentável. A principal motivação do MPB é fomentar a participação social como alicerce para compreensão e conservação da biodiversidade.