Graziella Comini é a nova vice-presidente do IPÊ

A professora Associada do Departamento de Administração da FEA/USP e Coordenadora do Centro de Empreendedorismo Social e Administração do Terceiro Setor (CEATS), foi eleita pelo IPÊ como nova vice-presidente da Instituição. Ela ocupa agora o lugar de Claudio Padua, fundador do Instituto, que hoje permanece no Conselho do IPÊ e como Reitor da ESCAS – Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade, que também ajudou a criar por meio da ONG.

“A escolha por Graziella Comini não poderia ser mais acertada. Extremamente conhecedora da Instituição, suas necessidades e desafios, ela já vinha tendo um papel fundamental para nós como conselheira e professora. Com a nossa escola, ajudou a trazer inovação em temas que nos são caros, como o empreendedorismo, para a área socioambiental. Agora na vice-presidência, será ainda mais importante para nosso desenvolvimento”, afirma Eduardo Ditt, diretor executivo do IPÊ. 

Graziella soma a um time de maioria feminina na instituição. “Mais de 56% dos cargos de liderança na instituição são compostos por mulheres e agora divido essa responsabilidade com ela, em uma presidência integralmente feminina”, comenta Suzana Padua, presidente.

Economista, com mestrado, doutorado e livre-docência em administração pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo, FEA/USP, Graziella Comini possui especialização na Harvard Business School e Universidade de Bologna. Além disso, coordena o Mestrado Profissional em Empreendedorismo da FEA/USP e é representante do Brasil no SEKN – Social Enterprise Knowledge Network. Ela também é conselheira de empreendimentos socioambientais e negócios sociais no Brasil. Desenvolve projetos relacionados a empreendedorismo social, ecossistema de negócios de impacto, negócios sociais e inovação social.

"É uma grande honra e responsabilidade ocupar a posição de vice-presidência do IPÊ, uma organização pautada por valores éticos e com excelência técnica na área socioambiental, meu objetivo é ampliar a vertente educacional para que o conhecimento gerado no IPÊ possa ser ainda mais disseminado nos diferentes setores (primeiro, segundo e terceiro setor). O IPÊ tem capacidade e competência de diálogo com diferentes atores e serve como um dinamizador de inovações socioambientais”, afirma Graziella.