Reunião vai discutir o mercado da restauração florestal no Oeste Paulista

Em mais uma etapa do Plano Operacional de Conectividade entre Unidades de Conservação e demais áreas protegidas no Oeste Paulista (POC), o IPÊ, a Fundação Florestal (FF) e organizações que atuam nesta região vão construir o “Estudo do Mercado da Restauração Florestal de Corredores de Conectividade entre Unidades de Conservação da região do extremo oeste de São Paulo".

Para isso, as organizações convidam instituições, representantes da sociedade civil ou governamental, empresários, proprietários de terra, produtores e comunidade a participarem da Oficina sobre o Mercado da Restauração Florestal, no dia 03 de outubro, das 09h às 16h, na sede do Parque Estadual do Morro do Diabo, em Teodoro Sampaio (SP). A proposta é avaliar as características das demandas do segmento florestal na região e, a partir desse estudo, propor estratégias de mercado, de comercialização, e sugerir meios de atendimento para diversos segmentos de empresas (MEs, MEIs, EPPs e produtores rurais) que compõem a cadeia produtiva de restauração florestal de corredores de conectividade.

"O projeto tem como objetivo final propor meios de conectar os fragmentos florestais da Mata Atlântica no oeste de São Paulo. É importante mobilizar todos os setores para isso. Nessa fase do projeto, queremos avaliar em conjunto com todos como é o mercado regional da restauração florestal e como ele pode impulsionar a economia local, quais as tendências para o futuro e os principais desafios deste segmento. Queremos, a partir disso, planejar um novo mercado mais promissor para a região, bom para o social, o econômico e o ambiental", afirma Simone Tenório, coordenadora do projeto pelo IPÊ.