Últimas Notícias

Iniciativa é da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza em parceria com a Embrapa Pantanal e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) com apoio do Projeto Tatu-Canastra e do IPÊ

Cinco espécies de tatus do Pantanal são as estrelas principais da exposição interativa lançada dia 15 de julho, na Estação Natureza Pantanal, em Corumbá (MS). O objetivo é aproximar os animais dos visitantes, mostrando caraterísticas e curiosidades do tatu-galinha (Dasypus novemcinctus), tatu-peba (Euphractus sexcinctus), tatu-de-rabo-mole (Cabassous unicinctus), tatu-canastra (Priodontes maximus) e tatu-bola (Tolypeutes matacus), principais espécies encontradas no bioma.

De forma leve e divertida, crianças e adultos poderão ter a experiência de como os animais vivem, já que a entrada da exposição será a reprodução de uma toca de tatu. O túnel levará a uma sala climatizada, simulando o efeito das tocas de tatus no Pantanal, pois estes abrigos possuem temperatura constante em torno de 25 graus. Nos dias quentes de verão as tocas são mais frescas que o ambiente externo, com temperaturas que chegam acima dos 40 graus, tornando-se por isso importantes refúgios térmicos.

toca-tatu lobinhoAs tocas são indispensáveis para esses animais e também admiráveis: no caso do tatu-canastra, que é maior dentre as espécies do bioma, elas podem chegar a 5 metros de profundidade. Como as espécies de tatu têm costume de abandoná-las após certo período, as tocas servem de abrigo para outros animais, como répteis, aves e outros mamíferos. Os visitantes poderão conhecer alguns deles, como seriemas, cachorros-vinagre, quatis, queixadas e jaguatiricas, que já foram registrados próximos ou entrando em tocas do tatu-canastra.

“A ideia é fazer com que o visitante se sinta mesmo dentro de uma toca de tatu e conheça mais sobre os seus hábitos”, explica a coordenadora da Estação Natureza Pantanal, Teresa Cardoso. Ela destaca que os tatus sofrem com a caça predatória e atropelamentos, por isso a importância de aproximá-los das pessoas.

A exposição é uma realização da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza em parceria com a Embrapa Pantanal e a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), com apoio do Projeto Tatu-Canastra e do IPÊ. A instalação também é composta por cinco totens com imagens dos diferentes tatus que se acendem quando o visitante aperta um botão. Em cada um deles, será possível conhecer as principais características, hábitos e curiosidades de cada espécie. Serão apresentados ainda vídeos e fotos de cameras-trap mostrando o comportamento das espécies em ambiente natural. As imagens foram cedidas pela pesquisadora Nina Attias da UFMS/EMBRAPA Pantanal - responsável pelo Projeto Tatus do Pantanal - e pelo pesquisador Arnaud Desbiez, coordenador do Projeto Tatu-Canastra.

Exposição Permanente
Além da exposição especial sobre os tatus, a Estação Natureza Pantanal também oferece uma mostra permanente sobre a natureza pantaneira. Localizada em Corumbá (MS) – a 400 quilômetros da capital Campo Grande – ela ocupa um prédio histórico datado de 1908, às margens do emblemático Rio Paraguai. O espaço representa uma verdadeira imersão no bioma pantaneiro, reunindo mais de duas dezenas de elementos interativos com explicações e fotos de espécies-bandeiras do bioma - como a onça-pintada, o tuiuiú e o jacaré-do-pantanal – e de seus habitats. Também é possível ouvir registros de canto e vocalização de aves típicas do Pantanal, além de conferir uma maquete que explica o ciclo das águas pantaneiras, entre outras atrações. A iniciativa foi implantada em 2006 pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza.

Serviço
Endereço: Ladeira José Bonifácio, 111 – Porto Geral – Corumbá (MS).
Telefone: (67) 3231-9100
Horário de funcionamento:
De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h.
Sábados, das 14h às 18h.
Ingressos
Inteiro: R$ 3
Estudantes: R$ 1,50
Moradores de Corumbá e Ladário: R$ 1
Isentos: Maiores de 60 e menores de seis anos / grupos de instituições públicas agendados com antecedência.
Email: [email protected]
Site: www.fundacaogrupoboticario.org.br

140424 semeando agua 581Essa semana o IPÊ entregou a segunda unidade demonstrativa do projeto “Semeando Água”.

A Fazenda Cravorana, localizada no município de Piracaia (SP), recebeu orientações e intervenções de uso do solo, por meio da conversão de cinco hectares de pastagem convencional para o pastoreio ecológico durante quatro meses.

Saiba mais

 

O IPÊ prorrogou para até dia  09 de julho a campanha de crowdfunding (financiamento coletivo) para as ações de Educação Ambiental do projeto "Nascentes Verdes, Rios Vivos" com objetivo de arrecadar R$ 28 mil para atender 700 alunos de escolas públicas de Nazaré Paulista (SP).

Ao “adotar” um aluno por uma contribuição única de R$ 40,00, você garante a participação desse estudante ao longo de 2014 em todas as atividades educativas do projeto, colaborando com a continuidade dos nossos trabalhos e para a formação de cidadãos mais preocupados com o meio ambiente e com a água.

Contribua AQUI: http://www.ecodobem.com.br/nascentesverdesriosvivos

Saiba mais sobre o projeto

Desde 2009, o projeto “Nascentes Verdes, Rios Vivos” realiza um trabalho que tem por objetivo proteger a água na região de Nazaré Paulista - área estratégica para os recursos hídricos que abastecem o Sistema Cantareira, fornecedor de água para mais de 10 milhões de pessoas. O projeto atua em dois componentes: Restauração de matas ciliares ao redor de nascentes, rios e represas para contribuir com a produção de água; e Educação Ambiental para estudantes e professores, contribuindo para formar futuras gerações mais sensibilizadas à conservação da Mata Atlântica e, consequentemente, da água.

Alunos de 5ª a 7ª série de escolas públicas passam por atividades práticas, experimentando trabalhos de campo, conhecendo o viveiro de mudas, plantando árvores nativas, fazendo trilhas e monitorando o crescimento das florestas restauradas. Tudo isso, reforçando os conceitos aprendidos em sala de aula nas diversas disciplinas como matemática, português, geografia, artes e até educação física. Para isso, o IPÊ ajuda a inserir o tema ambiental no calendário escolar, com apoio dos professores e diretores, que passam por palestras e cursos.

Em 2013, o projeto conseguiu beneficiar 520 alunos e 50 professores, com palestras, cursos e atividades práticas. Com o trabalho do Instituto, já foi possível também restaurar 150 hectares de floresta na região, o equivalente a 150 campos de futebol.

temtatuO projeto Tatu-Canastra, realizado pelo IPÊ e The Royal Zoological Society of Scotland promove ao longo de todo o próximo semestre de 2014 a campanha "Tem Tatu Aqui", em parceria com a SZB - Sociedade de Zoológicos e Aquários do Brasil. O objetivo é chamar a atenção para os tatus brasileiros, ainda desconhecidos pela maioria da população. Para isso, diversos materiais com informações sobre ecologia e biologia dos tatus foram desenvolvidos principalmente para o público infanto-juvenil, professores de escolas e educadores ambientais de zoológicos: cartilha, website, pôsteres, carteirinha de sócio do “time do tatu”, entre outras ferramentas que ajudarão a disseminar a informação sobre os animais de forma leve e divertida.

Todas as informações podem ser encontradas no site: WWW.VIVATATU.COM.BR

Outro objetivo da campanha é estimular a divulgação de pesquisas com essas espécies como o Projeto Tatu-Canastra, realizado na Fazenda Baía das Pedras (Pantanal-MS), que se dedica ao estudo da espécie em seu hábitat natural, buscando resultados inéditos tanto para a conservação da fauna quanto para a proteção do bioma.

O tatu-canastra é o maior dentre os tatus (pode chegar a 1,5 m de comprimento e pesar mais de 50 quilos) e por isso foi o escolhido como representante da campanha, dentre as 10 espécies de tatus encontradas no Brasil. No País, os tatus estão distribuídos em praticamente todos os biomas. São animais em sua grande maioria de hábitos noturnos e principalmente crípticos, fatores que dificultam seu avistamento e conhecimento pela população, até mesmo em regiões de maior ocorrência.

Mais sobre a campanha

A campanha “Tem Tatu Aqui” é liderada pelo pesquisador do IPÊ Arnaud Desbiez e pela presidente da SZB Yara Barros. Para tornar a campanha uma realidade, contaram com a colaboração de uma diversos profissionais, jornalista, artistas, pesquisadores e a equipe da SZB, que pelo segundo ano consecutivo apoia uma campanha nacional por uma espécie. Em 2013, a SZB e diversos zoológicos brasileiros engajaram-se na campanha “Minha Amiga é uma Anta”, com grande repercussão com o público visitante.

Os zoológicos brasileiros, com seus 20 milhões de visitantes anuais, podem ser vistos como uma grande sala de aula que atinge pessoas de todas as idades e de diferentes níveis culturais e econômicos. Este ano, com a campanha “Tem Tatu Aqui”, a SZB pretende de maneira expressiva atingir este público numeroso e diverso, sendo mais um canal de disseminação de conhecimento.