Últimas Notícias

Em evento realizado na noite do dia 5 de junho (Dia Mundial do Meio Ambiente) o Governo do Estado de São Paulo decretou o Mico-Leão-Preto como patrimônio ambiental paulistano. Na ocasião, foi também criada oficialmente a Comissão Permanente de Proteção dos Primatas Nativos do Estado de São Paulo (Comissão Pró-Primatas Paulistas), que tem por objetivo promover o respeito às espécies, conhecimento científico, conservação e recuperação de primatas em seu estado e hábitat, além da educação ambiental para proteção dessas espécies.

O IPÊ é um dos membros desta comissão e uma das organizações atuantes pela proteção do mico-leão-preto no estado. Este ano, o Instituto celebra 30 anos de ações para proteção da espécie na Mata Atlântica, por meio de estudos científicos, educação ambiental, restauração de paisagens e apoio na formulação de políticas públicas em prol do mico. Ao longo dos anos, o trabalho de conservação do IPÊ, profissionais e instituições de meio ambiental, com apoio dos órgãos governamentais, já obteve resultados expressivos: mudança da categoria do mico-leão-preto de “criticamente ameaçado” para “ameaçado” (de acordo com a Lista Vermelha da UICN), estabelecendo um futuro mais otimista para este pequeno primata; criação da Estação Ecológica Mico-Leão-Preto, de extrema importância para a Mata Atlântica e para a espécie; definição dos limites para a criação do Mapa dos Sonhos do Pontal do Paranapanema, que indica áreas prioritárias para restauração ambiental na região, entre outras tomadas de decisão importantes à sobrevivência da espécie.

Sobre o programa de conservação do Mico-Leão-Preto

Há 30 anos, o primatólogo Claudio Padua começaria uma das histórias marcantes da conservação da biodiversidade brasileira, ao iniciar as pesquisas de campo com o mico-leão-preto, espécie que só existe no Estado de São Paulo e que até os anos 1970 era considerada extinta na natureza. Após deixar de lado a carreira de administrador para se dedicar à proteção ambiental, Padua logo se envolveu com a equipe de pesquisa do professor Adelmar Coimbra-Filho, no Centro de Primatologia do Rio de Janeiro, que o levou a estudar o mico paulista no Pontal do Paranapanema, oeste de São Paulo, uma importante área de Mata Atlântica de interior.

Estudos sobre comportamento da espécie ou quantidade de grupos existentes nas florestas remanescentes, localizadas no entorno da cidade de Teodoro Sampaio (SP), acabaram não se mostrando eficientes sozinhos para a proteção dos micos. A maior ameaça à espécie estava na perda de seu hábitat, afinal, a região de pesquisas tem um grave histórico de devastação e fragmentação de suas florestas. Diante da necessidade de envolver a comunidade local e mobilizá-la pela proteção florestal é que Suzana Padua, esposa do pesquisador, passou a realizar atividades de educação ambiental, contando com a participação dos moradores da cidade. Nascia assim o princípio de uma estratégia de conservação de espécies e o início de um dos mais longos programas de conservação do Brasil.

As pesquisas com o mico ajudaram também a dar os primeiros passos para a criação de uma das maiores organizações socioambientais do Brasil, o IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas. Atraídos pelas pesquisas de campo e pelo trabalho comunitário, estagiários de várias partes do Estado acabaram unindo-se ao casal Padua e formando o corpo de profissionais fundadores do Instituto, criado oficialmente em 1992. A partir da experiência com o Programa de Conservação do Mico-Leão-Preto, outros projetos acabaram surgindo no Instituto e sendo realizados em diversas partes do País, ampliando o alcance do IPÊ.

Após lançamento em São Paulo, o livro “Mico-leão-preto: A história de sucesso na conservação de uma espécie ameaçada”, escrito pela bióloga Gabriela Cabral Rezende, será apresentado no próximo dia 6, na Câmara dos Vereadores de Teodoro Sampaio (SP), cidade onde o IPÊ mantém o programa de Conservação do Mico-Leão-Preto, entre outros projetos.

Por meio de um levantamento enriquecido por entrevistas com personalidades brasileiras e estrangeiras que ativamente contribuíram para salvar essa espécie, a autora relata os esforços de pessoas engajadas para recuperar as populações de micos-leões pretos da natureza e, ao mesmo tempo, restaurar o habitat da espécie: a floresta Atlântica do interior de São Paulo. Além disso, a autora utiliza o Programa de Conservação do Mico-Leão-Preto do IPÊ como modelo, identificando quais são as principais estratégias e ações que podem levar um programa de conservação ao sucesso, e que também podem ser seguidas para a conservação de outras espécies.

A divulgação do livro no Pontal do Paranapanema acontece na semana das comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente e também no ano em que o programa de conservação da espécie completa seus 30 anos.

À venda na loja do IPÊ (http://www.lojadoipe.org.br).
Parte da renda obtida com a venda do livro é destinada ao programa de conservação da espécie promovido pelo Instituto.

Serviço
Lançamento: Mico-leão-preto: A história de sucesso na conservação de uma espécie ameaçada
Quando: 06 de junho de 2014
Onde: Câmara dos Vereadores de Teodoro Sampaio (SP)
Horário: 19h00.

 

DSCN0840Hoje, em comemoração à Semana Mundial do Meio Ambiente o IPÊ apresentou para o grupo da Terceira Idade do município de Nazaré Paulista o projeto “Semeando Água”no Salão Paroquial.

Atraidos pela situação do reservatório que existe na cidade e compõe o Sistema Cantareira, cerca de 30 pessoas participaram ativamente da palestra, como o Sr José Carlos de Carvalho de 72 anos que não conhecia a importância da região para a provisão da quantidade e qualidade da água “ Há 11 anos eu moro em Nazaré Paulista e de lá para cá mudou bastante a paisagem. Na TV vemos a situação dos nossos reservatórios , e fico feliz de conhecer projetos que estão preocupados com a água e o meio ambiente. Tenho fé nessa nova geração que vem com vontade de mudar.”, comenta ele, que é vigia aposentado.

O projeto “Semeando Água” que é patrocinado pela Petrobras e prevê a recuperação dos corpos hídricos em propriedades rurais que possuam nascentes que contribuem para o abastecimento do Sistema Cantareira vem desenvolvendo ações de educação ambiental, capacitação, técnicas de melhorias de uso do solo e restauração florestal em oito municípios da região: Mairiporã, Nazaré Paulista, Piracaia, Joanópolis, Vargem, Extrema , Camanducaia e Itapeva.

Em comemoração à Semana do Meio Ambiente o projeto “Semeando Água” promoverá outras ações de educação ambiental em municípios da região:

5/06: Campanha de Conscientização na feira livre em Nazaré Paulista (das 8h às 12h)
6/06: Campanha de Conscientização em escolas da rede pública de Joanópolis (das 9h às 11h e das 13h às 15h).

Para celebrar o Dia Mundial do Meio Ambiente, o IPÊ preparou atividades no Pontal do Paranapanema, Joanópolis e Nazaré Paulista. Confira!

Em Teodoro Sampaio (SP)

03/06 – (a partir das 8h00) Ação Ambiental e Ação Participativa de limpeza no bosque da Cohab Chris; Exposição Itinerante com mostra de animais da fauna local.

04/06 – (a partir das 8h00) Plantio Ecológico e Mutirão de Limpeza no Balneário Municipal

05/06 – (a partir das 8h00) Pedágio Ecológico na SP 613 (rodovia que corta o Parque Estadual Morro do Diabo).
             (tarde) Campanha de Coleta de Óleo de Cozinha; Doação de mudas na área urbana e rural; informações ambientais.

06/06 – (a partir das 8h00) Canteiros da área urbana; Ação de arborização urbana; Informações Ambientais para a comunidade local.
             (às 19h00) Lançamento do livro “Mico-Leão-Preto: A História de Sucesso na Conservação de uma Espécie Ameaçada”, na Câmara Municipal dos Vereadores.

Em Joanópolis (SP)

05/06 – (a partir das 8h00) Campanha de Conscientização em escolas.

Em Nazaré Paulista (SP)

04/06 – (14h00) Palestra do projeto Semeando Água – salão paroquial

05/06 – (8h00-12h00) Palestra do projeto Semeando Água – praça da EE. Francisco Derosa

07/06 – Venha Viver o IPÊ

IPÊ abre as portas para visitantes em Nazaré Paulista/SP

Evento Viver o IPÊ tem palestra e mesa redonda com os fundadores Claudio e Suzana Padua


No dia 7 de junho, o IPÊ abrirá as portas de sua sede para receber os visitantes interessados em conhecer o trabalho da organização e o campus da ESCAS – Escola Superior de Conservação e Sustentabilidade.

Na ocasião, os fundadores do Instituto Claudio e Suzana Padua estarão presentes realizando palestras e discutindo o futuro da sustentabilidade com os presentes.

As vagas são limitadas. Inscrições pelo telefone: 11-4597-1327 / 11-4597-7161.

Quando: 7 de Junho de 2014
Horário: das 10h às 14h.
Endereço: Rod. D.Pedro I, km 47. Bairro Moinho
                 Nazaré Paulista - SP