Últimas Notícias

Dias 23 e 24 de novembro, o IPÊ realiza em Teodoro Sampaio (SP), Pontal do Paranapanema a “Mostra Fotográfica & Trabalhos Escolares sobre biodiversidade e sustentabilidade socioambiental”. A exposição é parte final de um processo de capacitação de professores do ensino fundamental em Educação Ambiental e conta com a parceria do Parque Estadual Morro do Diabo (PEMD)/ Fundação Florestal, do Departamento Municipal de Educação de Teodoro Sampaio e da Estação Ecológica Mico-Leão-Preto (ICMBio).

Nina Valentini, diretora-executiva do Instituto Arredondar, parceiro do IPÊ, levou o Prêmio Folha de Empreendedor Social, na categoria jovem empreendedor. Nina foi reconhecida pelo seu trabalho frente à organização que trabalha com sistema de microdoações: o cliente de um estabelecimento doa alguns centavos, ou seja, "arredonda" a conta, quando vai finalizar uma compra. De centavo, em centavo, o recurso já se reverteu em alguns milhares de reais para projetos de instituições sociais e ambientais sem fins lucrativos, que atuam em causas relacionadas aos Objetivos do Milênio. Só em 2015, 21 lojas participaram, apoiando 16 instituições e arrecadando R$164.796,99 ao todo.

queloniosUniniJau5No Amazonas, as comunidades da Reserva Extrativista (Resex) do Rio Unini e do Parque Nacional (Parna) Jaú aproveitam a chegada da estação seca na região para monitorar e estudar a ecologia reprodutiva de quatro espécies de quelônios aquáticos desta região do Baixo Rio Negro: a tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa), o tracajá (Podocnemis unifilis), a irapuca (Podocnemis erythrocephala) e a iaçá (Podocnemis sextuberculata). O monitoramento começou no mês de setembro, período de desova dos quelônios e vai até o nascimento dos filhotes em dezembro.

04/11/2016 - Confiram artigo na Folia Primatologica sobre variação ontogenética e individual na pelagem do mico-leão-preto. O artigo discute, entre outros assuntos, a grande questão do que separa mico-leão-preto (L. chrysopygus) e mico-leão-da-cara-preta (L. caissara), apresenta todos os registros conhecidos atuais e históricos pra mico-leão-preto (inclusive com registros novos encontrados no Museu de Berlim, nunca antes citados na literatura), e sugerem uma zona de contato histórica entre ele e o sagui-da-serra-escuro (C. aurita).

Link do Artigo

APPRESENTACAO Patricia Medici 2 204/11/2016 - Nesta quinta-feira (03/11), o Ministério Público do Estado do Mato Grosso do Sul, por meio do Promotor de Justiça Dr. Alexandre Lima Raslan, realizou a primeira reunião técnica para apurar o impacto de atropelamentos a fauna silvestre e a ausência de medidas de mitigação para acidentes, que são de responsabilidade do Estado. Raslan preside Inquérito Civil que tramita desde maio de 2016 na 34ª Promotoria de Justiça do Estado do MS sobre a rodovia MS-040, uma das recordistas em atropelamentos de fauna silvestre em MS.