Segurança hídrica no Sistema Cantareira é tema de Encontro promovido pelo IPÊ

 

Como empresas, órgãos públicos, proprietários de terras e a sociedade podem alinhar medidas para fortalecer a integração e a implementação das ações capazes de contribuir com o incremento do volume do Sistema Cantareira? Na tentativa de articular os principais atores sociais e buscar alternativas em resposta a essa pergunta, o projeto Semeando Água, do IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas, com patrocínio da Petrobras, através do programa Petrobras Socioambiental e Governo Federal, promove o Encontro sobre os desafios e oportunidades para aumentar a segurança hídrica no Sistema Cantareira, em 03 de julho, na sede do IPÊ, em Nazaré Paulista.

O evento formado por três painéis vai discutir os desafios, as medidas que já fazem diferença e as lacunas que devem ser respondidas, além das estratégias para a conservação dos recursos hídricos, os resultados e os desafios para ganhar escala. Serão 12 apresentações de pesquisadores, lideranças governamentais, representantes da Agência Nacional de Água (ANA), de produtores rurais, da Sabesp e da Petrobras e da Replan.

A multiplicidade de atores sociais, conhecida como um dos desafios, quando o assunto é água será um dos pontos fortes do evento. Para Alexandre Uezu, coordenador do projeto, essa é uma característica que proporcionará ainda mais força aos resultados que são esperados com a iniciativa. “Com o programa do Encontro, produtores rurais, empresas, centros de pesquisa, governo, órgãos responsáveis pela gestão e a empresa que realiza a operação; todos eles estarão representados, buscamos dar espaço para profissionais das diversas áreas envolvidas com a temática contribuírem com a discussão. A solução para garantir sustentabilidade aos recursos hídricos, nesse caso, com destaque para o Sistema Cantareira, deve ter como base a integração”.

A escolha da data na metade da estação seca no Sudeste também é estratégica. Atualmente, o volume registrado no Sistema está mais baixo quando comparado ao período que antecedeu a pré-crise. “Os níveis de precipitação estão menores do que o esperado pela média histórica e não sabemos até quando essa condição se manterá”, afirma Alexandre Uezu.

Nesse contexto, o programa do Encontro traz à tona questões-chave que vão desde o cenário atual, passando pelo prognóstico para o Sistema Cantareira, a demanda de água em um futuro próximo, resiliência das áreas de mananciais, mecanismos desenvolvidos pelas empresas como medidas de prevenção, ações do governo estadual, o impacto das mudanças climáticas, a importância do produtor rural, Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) e a conexão de todo esse cenário com os ODS da Agenda 2030.

Para Simone Tenório, pesquisadora do IPÊ e coordenadora de Políticas Públicas do Projeto Semeando Água, outro ponto de destaque será a construção de produtos capazes de influenciar políticas públicas que contribuam para a preservação do maior sistema da região metropolitana paulista. “O evento tem como propósito a elaboração de uma carta de intenção e de um Plano de Ação como forma de somar esforços para aumentar a segurança hídrica do Sistema. Nesse sentido, o Encontro busca abordar as lacunas que dificultam a implementação de ações e propor soluções práticas capazes de fazer a diferença. A sinergia com os ODS da Agenda 2030 também está no programa, como caminho para contextualizar a importância das ações locais para o cumprimento de metas globais”.  

O evento é exclusivo para convidados, contará com transmissão simultânea pelo canal do IPÊ no Youtube e tem o apoio da Noví.

Confira a Programação