IPÊ capacita extrativistas no monitoramento da biodiversidade em Rondônia

O projeto Monitoramento Participativo da Biodiversidade realizou em maio seu primeiro curso de capacitação de protocolos para monitoramento da biodiversidade na Reserva Extrativista (Resex) Rio Ouro Preto, em Guajará-Mirim, Rondônia. O objetivo foi preparar a comunidade local para a realização de coleta de dados do monitoramento da diversidade biológica na Resex, trabalho que já vem sendo feito em mais sete Unidades de Conservação da Amazônia pelo IPÊ em parceria com o ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade).

Para a instrução do protocolo de Mamíferos e aves, bem como o de Borboletas frugívoras, o evento foi realizado com a participação e apoio da equipe de consultores do IPÊ e para o protocolo de plantas lenhosas contou com o apoio do Serviço Florestal Brasileiro - SFB.

Ao todo, participaram do curso 12 extrativistas moradores da Resex, 12 alunos do curso de Gestão Ambiental da Universidade Federal de Rondônia e oito colaboradores do ICMBio, Polícia Militar Ambiental, Corpo de Bombeiros, Emater, e da Sema de Porto Velho.

Com os biólogos Camila Lemke e Samuel Nienow, os alunos vivenciaram a prática de instalação e revisão de nove armadilhas de borboletas e foram capacitados quanto à biologia e identificação de espécies. Em uma trilha, realizaram a prática de censo de aves e mamíferos com as orientações do biólogo Paulo Bonavigo e prática de plantas, com o engenheiro florestal Adriano Ferreira.

Atualmente, a Resex está em processo de implementação de estações amostrais e possui uma trilha de 5km já implementada para o protocolo de mamíferos e aves. Ainda em 2017, a UC pretende abrir as demais trilhas e implantar as cruzes de malta para a coleta dos dados de plantas lenhosas.