Programa Mico-Leão Preto conquista apoio da Disney Conservation Fund

O Programa de Conservação do Mico-Leão Preto, realizado no Pontal do Paranapanema pelo IPÊ, recebe o apoio do Disney Conservation Fund para suas atividades de pesquisa, educação ambiental e conservação ao longo de 2017.

O recurso de 25.000 dólares será utilizado para dar mais um passo importante nos trabalhos para a proteção da espécie, no corredor de Mata Atlântica criado pelo IPÊ, com mais de 2,3 milhões de árvores. Para os micos-leões-leões pretos, as fontes de alimento (frutas, insetos e pequenos vertebrados) e locais de dormida (buracos de árvores) são componentes vitais do habitat que afetam diretamente o número de indivíduos que podem usar e viver em uma área. Entretanto, as árvores do corredor, por serem mais novas, podem ainda não ter ocos para uso pela espécie. Para promover o uso dessas áreas restauradas pelos micos, uma das ações do projeto apoiado pelo DCF é o teste e instalação de ocos artificiais, caixas de madeira que funcionam como abrigo e dormitório para a espécie.

"Pretendemos instalar essas caixas no corredor para promover o uso dessas novas áreas de floresta pela espécie. Mas antes, para testar sua eficiência, instalamos algumas caixas em árvores dentro da área de vida de um grupo que é monitorado pela equipe desde 2013. Eles foram fixados no alto das árvores que estão nas rotas já conhecidas deste grupo. Agora, a equipe irá monitorar como os animais interagem com essas caixas usando tanto armadilhas fotográficas quanto observação direta no campo. Essa ação faz parte de um projeto maior, que visa aumentar a disponibilidade de recursos para os micos-leões-pretos nas áreas restauradas do Pontal", explica a coordenadora da pesquisa Gabriela Cabral Rezende.

Além dos testes das caixas, o IPÊ vai começar, em parceria com o Laboratório de Primatologia (LaP) da UNESP Rio Claro, um estudo para caracterizar os ocos escolhidos como dormitórios pelos micos, considerando os efeitos da predação, termorregulação, distribuição de recursos e a necessidade da espécie em defender seu território. Com esses dados em mãos, será possível escolher estrategicamente o melhor design para as caixas e os melhores locais para colocá-las nas áreas restauradas para promover o uso dos corredores.

O programa também recebe apoio de Durrell Wildlife Conservation Trust, Margot Marsh Biodiversity Foundation, Idea Wild e Lion Tamarins of Brazil Fund em 2017.

Você também pode apoiar esse projeto: Adote uma Espécie ou Doe para o Mico.