José Aldari Coelho

José Aldari Coellho Filho, da comunidade Pagodão (Baixo Rio Negro) é um dos participantes do projeto de agroecologia. Com metodologia participativa e diálogo entre saberes, o projeto do IPÊ orienta o agricultor sobre manejo sustentável dos recursos naturais, em especial um melhor uso da terra: como abrir novas áreas de roçados em áreas de capoeira, não usar fogo no processo, aproveitar a matéria orgânica como adubo e diversificar as espécies plantadas.

O objetivo com isso é também apoiar a soberania alimentar e geração de renda, a partir da produção e comercialização dos produtos da agricultura familiar.

“Aprendi muito. Achava que planta na roça não era bom. A gente roçava, derrubava e queimava tudo pra depois plantar. Só que sem queimar, a planta cresce mais rápido e o trabalho é menor e o resultado melhor”, diz.

O sr. Coloral, como José é mais conhecido na região, conta que muita gente ainda não acredita nessa forma de plantio, sem fazer o roçado com queimada e sem usar agrotóxico. “Eles acham que é coisa de gente doida trabalhar assim, sem queimar. As pessoas não acreditam que o que vem da natureza ajuda, mas agora eu só faço assim. Nesse sistema é mais prático da gente trabalhar e é uma ajuda pra quem não tem dinheiro como eu”.

Ele ainda se diz orgulhoso por ter visto no intercâmbio que fez pelo projeto no Acre e Rondônia, que está no caminho certo, ajudando na conservação da floresta. “Eu não sabia trabalhar direito dessa forma. O pessoal lá me explicou o trabalho que eles fazem, e é como eu estou fazendo aqui agora e dá certo!”, afirma.